Confira as orientações básicas para realização dos testes no eSocial

Home / Notícias Selecionadas / Confira as orientações básicas para realização dos testes no eSocial

Confira as orientações básicas para realização dos testes no eSocial

Com vistas ao aperfeiçoamento do eSocial  os empregadores têm um ambiente de Produção Restrita do Sistema com o objetivo de disponibilizar uma infraestrutura para a realização de testes funcionais de suas aplicações

Com vistas ao aperfeiçoamento do eSocial – Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, desde o dia 26 de junho de 2017, os empregadores têm um ambiente de Produção Restrita do Sistema com o objetivo de disponibilizar uma infraestrutura para a realização de testes funcionais de suas aplicações.

A Produção Restrita tem a mesma versão do eSocial que será disponibilizada em ambiente de Produção. Com isso, as empresas farão uso do ambiente de Produção, somente após as suas aplicações estarem amadurecidas e estabilizadas diante dos testes realizados na Produção Restrita.

Vale dizer que a Produção Restrita não é um ambiente para as empresas realizarem testes de carga ou para simularem suas folhas de pagamento antes de transmitirem para a Produção.

Em função da capacidade restrita do ambiente, sua utilização deverá ser efetuada de forma controlada, atendendo às orientações e aos limites descritos no Manual Técnico.

Salientamos que a utilização do eSocial em ambiente de Produção terá início em 1º de janeiro de 2018, para os empregadores e contribuintes com faturamento acima de R$ 78.000.000,00 no ano de 2016 e, em 1º de julho de 2018, para os demais empregadores.

=> Período da Disponibilização dos Testes

De acordo com a Resolução 9 CGeS/2017, o ambiente de Produção Restrita será disponibilizado em duas etapas:

1ª etapa: no período de 26-6 a 31-7-2017, para as empresas de TI – Tecnologia da Informação;

2ª etapa: no período de 1-8 a 31-12-2017, para todas as empresas.

Para a Produção Restrita, a data de 1-1-2017 deve ser adotada como início de obrigatoriedade do eSocial.

=> Eventos

Inicialmente, o ambiente de Produção Restrita contém os seguintes eventos que foram implementados de acordo com a versão 2.2.02 dos leiautes, aprovada pela Resolução 8 CGeS/2017:

S-1000 – Informações do Empregador/Contribuinte

S-1005 – Tabela de Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos Públicos

S-1010 – Tabela de Rubricas

S-1020 – Tabela de Lotações Tributárias

S-1030 – Tabela de Cargos/Empregos Públicos

S-1035 – Tabela de Carreiras Públicas

S-1040 – Tabela de Funções/Cargos em Comissão

S-1050 – Tabela de Horários/Turnos de Trabalho

S-1070 – Tabela de Processos Administrativos/Judiciais

S-1080 – Tabela de Operadores Portuários

S-1200 – Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previdência Social

S-1210 – Pagamentos de Rendimentos do Trabalho

S-1250 – Aquisição de Produção Rural

S-1260 – Comercialização da Produção Rural Pessoa Física

S-1270 – Contratação de Trabalhadores Avulsos Não Portuários

S-1280 – Informações Complementares aos Eventos Periódicos

S-1298 – Reabertura dos Eventos Periódicos

S-1299 – Fechamento dos Eventos Periódicos

S-1300 – Contribuição Sindical Patronal

S-2100 – Cadastramento Inicial do Vínculo

S-2190 – Admissão de Trabalhador – Registro Preliminar

S-2200 – Admissão de Trabalhador

S-2205 – Alteração de Dados Cadastrais do Trabalhador

S-2206 – Alteração de Contrato de Trabalho

S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho

S-2230 – Afastamento Temporário

S-2250 – Aviso-Prévio

S-2298 – Reintegração

S-2299 – Desligamento

S-2300 – Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário – Início

S-2306 – Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário – Alteração Contratual

S-2399 – Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário – Término

S-3000 – Exclusão de eventos

S-5001 – Informações das contribuições sociais por trabalhador

S-5002 – Imposto de Renda Retido na Fonte

S-5011 – Informações das contribuições sociais consolidadas por contribuinte

S-5012 – Informações do IRRF consolidadas por contribuinte

As datas para disponibilização de versões futuras do eSocial nos ambientes de Produção Restrita e Produção serão divulgadas quando da publicação dos respectivos leiautes.

=> Limitação de Vínculos

A Produção Restrita limita a utilização de 1.000 vínculos por empregador.

Desta forma, cada empresa pode realizar testes funcionais considerando uma folha de pagamento com até 1.000 empregados ativos.

Caso a empresa utilize os 1.000 vínculos e queira incluir um novo será necessário desligar um empregado que esteja ativo.

=> Tempo de Guarda dos Dados

Considerando que a Produção Restrita é um ambiente para realização de testes funcionais para os empregadores simularem suas aplicações e que os dados recebidos não possuem validade jurídica, não existe a necessidade de armazenamento da mesma forma que é previsto para o ambiente de Produção.

Nesse sentido, todos os eventos enviados ao ambiente de Produção Restrita serão completamente excluídos periodicamente ou quando houver a necessidade de manutenção que gere impacto significativo para o Sistema, com comunicação prévia.

=> Validações

O comportamento do eSocial, no ambiente de Produção Restrita, em relação às validações, considera que os CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica e os CPF – Cadastro Pessoa Física informados nos eventos do eSocial, serão validados contra o ambiente de produção dos Sistemas CNPJ e CPF.

Dessa forma, os eventos devem ser preenchidos com CNPJ e CPF válidos e em situação regular junto a RFB – Receita Federal do Brasil.

Com relação ao CNO – Cadastro Nacional de Obras, inicialmente o ambiente de Produção Restrita validará somente o dígito verificador (DV).

Sendo assim, os eventos podem ser preenchidos com qualquer CNO, desde que o DV seja válido. Todas as outras regras relacionadas ao CNO não serão aplicadas. No caso do CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais, em primeiro momento o ambiente de Produção Restrita validará somente o DV. Assim sendo, os eventos podem ser preenchidos com qualquer NIS – Número de Identificação Social, desde que o DV seja válido.

O ambiente de Produção Restrita aceitará inicialmente o FAP – Fator Acidentário de Prevenção informado pela empresa dentro do intervalo contínuo de 0,50 a 2,00.

Vale lembrar que o FAP é um multiplicador, que varia entre 0,5 e 2,0 pontos, a ser aplicado sobre as alíquotas de contribuição de 1, 2 ou 3%, que representam a contribuição do estabelecimento decorrente dos RAT – Riscos Ambientais do Trabalho, incidente sobre o total da remuneração paga, devida ou creditada a qualquer título, no decorrer do mês, aos segurados empregados e trabalhadores avulsos, para custear aposentadorias especiais e benefícios decorrentes de acidentes de trabalho.

Em primeiro momento o ambiente de Produção Restrita não aceitará o uso de Procuração Eletrônica.

=> Atendimento das Dúvidas

No Portal do eSocial foi criado um Canal Exclusivo de Comunicação com a equipe de suporte para atendimento das demandas provenientes da utilização do ambiente de Produção Restrita, por meio de formulário próprio, onde serão registradas as ocorrências (erros e sugestões) reportadas pelas empresas que utilizam o ambiente.

 

Fonte: COAD – Link: http://www.coad.com.br/home/noticias-detalhe/80403/confira-as-orientacoes-basicas-para-realizacao-dos-testes-no-esocial

Start typing and press Enter to search

Open chat
1
Olá!
Como podemos te ajudar?